Sexta, 03 de Dezembro de 2021
29°

Muitas nuvens

Macapá - AP

Cidades Amapá

Vigilância Epidemiológica realiza visita e investigação de hospedeiros no bairro Marabaixo III

A busca ativa está sendo feita na área onde caso foi registrado para tentar encontrar vetor

12/11/2021 às 17h03
Por: Dinael Monteiro Fonte: Prefeitura de Macapá
Compartilhe:
Vigilância Epidemiológica realiza visita e investigação de hospedeiros no bairro Marabaixo III

O Departamento de Vigilância Epidemiológica de Macapá segue fazendo o acompanhamento de casos confirmados e suspeitos de doenças de chagas. Os técnicos da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) fizeram visitas de vistoria no bairro Marabaixo III para investigar triatomíneos, hospedeiros da doença.  Apenas uma residência do bairro recebeu a notificação com 2 casos confirmados e 2 suspeitos.

A busca ativa está sendo feita na área onde o caso foi registrado para tentar encontrar o vetor. O diretor do Departamento de Vigilância Ambiental (DVA) da Semsa, Bruno Barros, destaca que foi explicado aos moradores sobre o vetor, popularmente conhecido como barbeiro, e sobre as formas de infecção. “O próximo passo é realizar ações educativas nas amassadeiras de açaí, ao que tudo indica as pessoas estão se contaminando por ingestão do alimento”, explica.

Os vetores transmissores da doença de Chagas (DC) são os triatomíneos, insetos que se alimentam de sangue. A transmissão vetorial do parasito só acontece se o hospedeiro estiver infectado.

Doença de chagas
Chagas é uma doença de elevada prevalência e morbimortalidade, causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi (T. cruzi). Apresenta uma fase aguda (sintomática ou não) e uma crônica, que pode se manifestar nas formas indeterminada, cardíaca, digestiva ou cardiodigestiva.

Manifestação da doença
No caso suspeito de Doença de Chagas, o indivíduo pode apresentar febre persistente por mais de 7 dias, com uma ou mais das manifestações clínicas como edema de face ou membros, inflamação dos gânglios linfáticos (íngua), aumento do fígado, aumento do baço, dores no corpo, diarreia, vômito, cardiopatia aguda, manifestações hemorrágicas, icterícia, inchaço de um olho, nódulo avermelhado e endurecido no local da picada do inseto.

Transmissão da doença
As principais formas de transmissão da doença de chagas são:

Vetorial: contato com fezes ou urina de barbeiro;

Oral: ingestão de alimentos contaminados com parasitos provenientes de triatomíneos infectados.

Vertical: ocorre pela passagem de parasitos de mulheres infectadas por T. cruzi para seus bebês durante a gravidez ou o parto.

Acidental: pelo contato da pele ferida ou de mucosas com material contaminado durante manipulação em laboratório ou na manipulação de caça.

E através da transfusão de sangue ou transplante de órgãos de doadores infectados para receptores sadios.

Os casos de transmissão da doença via inseto são raros nas áreas urbanas, porém, a transmissão via ingestão de alimentos contaminados, como açaí, caldo de cana e animais silvestres (caças) é mais comum. Caso a pessoa identifique ou encontre algum inseto suspeito, deve entrar em contato com a Divisão de Entomologia, através do número (96) 99202-5814.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Macapá - AP Atualizado às 16h51 - Fonte: ClimaTempo
29°
Muitas nuvens

Mín. 24° Máx. 34°

Sáb 33°C 24°C
Dom 33°C 24°C
Seg 34°C 24°C
Ter 34°C 24°C
Qua 33°C 25°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes